Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

terça-feira, 2 de janeiro de 2024

AMEAÇA: Opositor sul-coreano recebe cuidados intensivos após facada

Lee Jae-myung, que concorreu à presidência, é esfaqueado no pescoço durante visita a uma cidade no sudeste da Coreia do Sul. Agressor é detido pela polícia e acusado de tentativa de homicídio. O líder da oposição na Coreia do Sul, Lee Jae-myung, foi esfaqueado no pescoço nesta terça-feira (02/01), durante um evento público em Busan, no sudeste do país, e está em cuidados intensivos após uma cirurgia, comunicou o partido dele.
"Os danos à veia jugular interna foram confirmados", disse Kwon Chil-seung, membro do Partido Democrático (PD), em Seul, após a cirurgia. Lee está em cuidados intensivos, em recuperação e consciente, acrescentou.
A emissora pública KBS noticiou, citando médicos, que Lee não corre risco de morrer.
O político de 59 anos foi atacado por um homem enquanto visitava a cidade de Busan. Lee estava caminhando para seu carro enquanto falava com os repórteres quando o agressor pediu seu autógrafo, disse uma testemunha à emissora local YTN.
Nas imagens da TV, Lee é visto caindo no chão enquanto as pessoas o socorrem. A facada atingiu o lado esquerdo do pescoço, comunicou a polícia de Busan.
Lee foi inicialmente levado para um hospital em Busan e depois transferido de avião para Seul, onde foi submetido a uma cirurgia de duas horas, segundo o PD.
Imediatamente após o ataque, houve preocupação com a grande quantidade de sangue que Lee perdeu.
Agressor foi preso no local
Segundo a polícia, o ataque foi executado por um homem de 60 anos que usou uma faca de 18 centímetros (com uma lâmina de 13 centímetros), que ele comprou pela Internet.
O agressor foi detido pela polícia no local e acusado de tentativa de homicídio pelas autoridades sul-coreanas. Ele teria dito à polícia que sua intenção era matar Lee.
O presidente Yoon Suk Yeol ordenou uma investigação rápida e ofereceu apoio a Lee, comunicou o gabinete presidencial. "Yoon enfatizou que nossa sociedade jamais deve tolerar esse tipo de ato de violência, em nenhuma circunstância."
Ataques frequentes a políticos
Ataques em público a políticos sul-coreanos tem sido recorrentes nos últimos anos. Em 2022, um homem idoso atingiu na cabeça, com um objeto, Song Young-gil, que liderou o Partido Democrático antes de Lee.
Em 2006, Park Geun-hye, então líder do partido conservador que mais tarde se tornou presidente, foi atacada com uma faca num comício. O ataque deixou uma cicatriz em seu rosto.
Carreira política atribulada
Lee perdeu em 2022, para o conservador Yoon Suk Yeol, a disputa presidencial mais acirrada da história da Coreia do Sul.
Ex-trabalhador de uma fábrica infantil, ele sofreu um acidente industrial quando era adolescente e abandonou a escola. Lee alcançou o estrelato político, em parte, ao contar sua história de ascensão social.
Em agosto do ano passado, ele iniciou uma greve de fome contra o que chamou de políticas "incompetentes e violentas" do governo Yoon. Lee foi hospitalizado devido a doenças relacionadas ao jejum depois de ficar 19 dias sem comer.
Sua candidatura ao cargo mais alto do país foi ofuscada por uma série de escândalos.
Ele evitou a prisão em setembro, quando um tribunal rejeitou um pedido da promotoria para que fosse detido sob custódia até o julgamento de várias acusações de corrupção.
Lee ainda enfrenta julgamento por acusações de suborno relacionadas a uma empresa suspeita de transferir ilicitamente 8 milhões de dólares para a Coreia do Norte.
Lee nega todas as acusações contra ele.
Apesar de enfrentar resistência dentro do próprio partido, há uma grande expectativa de que ele concorra novamente à presidência em 2027 e, segundo pesquisas recentes, Lee continua sendo um forte candidato.
lr/as (AFP, Reuters, AP, DPA)Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt
Curta nosso facebook: /cp.web.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos