A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.

A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 2.368 - Sala 104 Bosque da Saúde - Cuiabá-MT - 78050-000 comercial@expovarejo.com.br | Fone: (65) 3057-5200

Iguá Saneamento

Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

Greenpeace no Brasil

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

"Ato em defesa de Lula leva manifestantes à sede do justiça federal em Cuiabá"

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livreAos gritos de que “Eleição sem Lula é Fraude” eles pediam a absolvição do ex-presidente. Cerca de 150 manifestantes estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira em frente à sede da Justiça Federal, em Cuiabá. O ato defesa ao ex-presidente da República Luís Inácio Lula da Silva, que tem recurso contra a decisão do juiz Sérgio Moro (que o condenou no caso do tríplex no Guarujá) julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre (RS), neste momento, reuniu representantes de movimentos sociais, sindicalistas, profissionais liberais, estudantes e políticos.
O presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), em Mato Grosso, deputado estadual Valdir Barranco (PT), disse que “se o Lula for condenado, quem perderá a credibilidade será o Judiciário”. “Se o julgamento for técnico, Lula será inocentado porque contra ele não existem provas. Só será condenado se houver viés político, como ocorreu em Curitiba quando o juiz Sérgio Moro o condenou em primeira instância mesmo diante de 77 testemunhos da defesa do réu e nenhuma prova concreta contra ele.” Barranco garantiu que a defesa de Lula continuará a todo vapor mesmo que o TRF 4 mantenha a condenação do ex-presidente e que sua candidatura à presidência do país é certa. “Não tenho dúvidas de que Lula será inocentado. Mas, se for preciso sua defesa irá recorrer à duas instâncias superiores, como garante a Lei. Com isso, ele poderá ser candidato. Vamos garantir o direito do maior líder popular deste país ser novamente o presidente vencendo as eleições nas urnas.” O ex-vereador de Cuiabá Lúdio Cabral (PT), que pode disputar as eleições para o governo de Mato Grosso, disse que a manifestação de hoje também serviu como protesto contra o programa de governo que tem sido implantando no país desde o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016. “Se depender apenas da vontade do povo e de um debate aberto, democrático, amplo sobre o destino do Brasil, esse programa que hoje está sendo executado no país, de reforma trabalhista, de corte de direitos, da demolição da previdência brasileira e de entrega do patrimônio nacional pros interesses internacionais, de destruição dos direitos por meio da redução dos recursos na saúde e educação, esse programa será derrotado nas eleições. Então, o dia de hoje é um dia de luta pra denunciar esse aparelhamento”, afirmou. Em Mato Grosso, também houve protestos em defesa de Lula nos municípios de Rondonópolis, Barra do Garças, Sinop, Diamantino, Cáceres, Juína, Alta Floresta e Tangará da Serra. Ao fim das manifestações, o PT lançou a candidatura de Lula à presidência da República. “Quem está à frente das manifestações é a Frente Brasil Popular que organiza a defesa de Lula em todo o país. Para nós, os princípios democráticos são claros: ninguém pode ser julgado e condenado sem provas; o julgamento não pode ser político e tem que seguir critérios técnicos. O juiz Sérgio Moro foi contra tudo isso em sua decisão. Em Mato Grosso, temos 92 comitês trabalhando pela defesa de que Lula possa ser candidato nas eleições de 2018”, concluiu Valdir Barranco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário