Águas Cuiabá - Iguá Saneamento

Águas Cuiabá - Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo, Cuiabá - MT

Conecte na ALMT

Se inscreva no site www.omatogrosso.com e responda a pergunta: QUAL A TV QUE VOCÊ SE VÊ?

Se inscreva no site www.omatogrosso.com e responda a pergunta: QUAL A TV QUE VOCÊ SE VÊ?
O sorteio será dia 05.03.2019 Boa sorte

domingo, 4 de março de 2018

"GUINÉ-BISSAU: Jovens guineenses pedem sanções políticas contra José Mário Vaz"

defaultIntegrantes dos Cidadãos Inconformados com a crise política em Bissau pediram à CEDEAO, este domingo (04.03), que sancione o Presidente, que acusam de ser o mentor da situação no país. O movimento cívico Cidadãos Inconformados, constituído principalmente por jovens guineenses, manifestou, este domingo, em frente à sede da Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental (CEDEAO), em Bissau, a sua solidariedade para com as sanções que a organização impôs contra 19 personalidades do país, acusadas de serem responsáveis pelo impasse político no país.
Os manifestantes também pediram que a CEDEAO aplique sanções políticas contra o Presidente da República, José Mário Vaz, que acusam ser autor da crise política que vive o país.
De acordo com o porta-voz do movimento Cidadãos Inconformados, Sumaila Djaló, "sendo José Mário Vaz o autor desta crise, o nome dele tem que figurar numa futura lista, queremos que seja sancionado pela CEDEAO".
O movimento entregou ao representante da CEDEAO na capital guineense, Blaise Diplo, um manifesto no qual agradecem o castigo aplicado às 19 personalidades, mas também frisam a sua vontade de ver o nome do Presidente entre os punidos.
Segundo outro representante dos Inconformados, Badilé Samy, as sanções da CEDEAO, que entre outras medidas impedem os visados de viajarem, "já estão a ter resultados". Samy insistiu que tais medidas sejam adotadas "por todas as instâncias internacionais".
Agência Lusa, tms/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário