O Grupo São Benedito é uma das maiores construtoras da região Centro-Oeste.

O Grupo São Benedito é uma das maiores construtoras da região Centro-Oeste.
O Grupo São Benedito é uma das maiores construtoras da região Centro-Oeste.

ANUNCIE CONOSCO

Riseup! Pocket

Riseup! Pocket
Uma experiência que você nunca viveu, em busca dos resultados que você nunca obteve.

GOVERNO DE MATO GROSSO

GOVERNO DE MATO GROSSO
O Nota MT é um programa de incentivo ao exercício da Cidadania

quarta-feira, 31 de julho de 2019

"Congresso Nacional deve aprovar emenda que garante ‘pagamento impositivo’ do FEX"

Senador do PL reforçou sua disposição de seguir lutando para garantir o repasse ao Estado e aos municípios de Mato Grosso. O Projeto de Lei Orçamentária de 2020 deverá conter dispositivo com dotações orçamentárias para a transferência aos estados e municípios de valores correspondentes a compensação prevista na Lei Kandir referente às exportações de produtos primários e semielaborados. A proposta está contida em emenda apresentada pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT) ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que será votada em agosto. Atualmente, as transferências da União para Estados e municípios por meio do Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX), encontram-se em atraso. Normalmente, elas são feitas a cada final do exercício. O fato de não ser ‘impositivo’, o Governo deixou de prover o fundo, alegando problemas de ordem fiscal. Ao todo, o valor do FEX é de R$ 1,9 bilhão. Mato Grosso é o que tem maior valor a receber: perto de R$ 500 milhões.
“O FEX é de fundamental importância para o nosso Estado, que é o que mais exporta produtos primários e semielaborados. Precisamos dessa compensação. E como todos sabem, o FEX vem assegurando importantes benefícios para o Estado, como o pagamento de servidores públicos, e auxílio aos municípios” – disse o senador, que lidera o Bloco Parlamentar Vanguarda, formada por senadores do Democratas, Partido Liberal e Social Cristão.
O parlamentar reforçou sua disposição de seguir lutando para garantir ao Estado e aos municípios de Mato Grosso o pagamento da compensação. Na última sessão plenária antes do recesso parlamentar, Fagundes alertou para a situação, lembrando que se o Governo não efetuar o pagamento do FEX este ano, a dívida com Mato Grosso chegará perto da casa de R$ 1 bilhão – o que representa grave situação aos municípios – considerado o mais frágil entre os entes federativos.
Defensor da reforma tributária e também do fortalecimento dos municípios, o senador do PL ressaltou que quando o Governo Federal cria os grandes programas, “cabe ao prefeito, aos vereadores, aos Municípios atenderem aos cidadãos”. Sem recursos suficientes, os serviços prestados ao cidadão, segundo ele, acabam prejudicados. “Daí a revolta, por sinal, justa, com razão, do cidadão que paga os impostos” - salientou.
Wellington Fagundes atuou, no ano passado, com relator da Comissão Especial Mista do Congresso Nacional constituída para elaborar Projeto de Lei Complementar destinada a regulamentar as transferências previstas na Lei Kandir. O PLC encontra-se pronto para ser votado pela Câmara dos Deputados. A proposta prevê compensação de um valor global de R$ 39 bilhões a cada ano, de forma perene. A proposta integra a pauta de prioridades da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Fagundes é vice-líder da Frente Parlamentar de Defesa dos Municípios, composta por mais de 200 deputados federais e 30 senadores.
Da assessoria/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos