Complexo Hospitalar de Cuiabá

Complexo Hospitalar de Cuiabá
CENTRAL DE ATENDIMENTO 55 65 3051-3000

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Prefeitura de Cáceres

Prefeitura de Cáceres
Av. Getúlio Vargas, 1895, Vila Mariana Cáceres - MT

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf
Rua Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, - Ed. Marechal Rondon - Centro Político Administrativo - Cuiabá-MT

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

"TCU aprova renovação de concessão e Ferronorte deve avançar em MT"

Ferrovia vai receber investimentos, ampliando capacidade de transporte 35 para 75 milhões de toneladas. O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou, nesta quarta-feira, 27, a renovação antecipada do contrato de concessão ferroviária da malha paulista, operada pela empresa Rumo, que pertence ao grupo Cosam. Com isso, abre-se a possibilidade de que os trilhos da Ferronorte avancem em Mato Grosso, saindo de Rondonópolis, no Sul do Estado, e chegando a Cuiabá.
A Ferronorte também é operada pela Rumo Logística. “Podemos dizer que hoje é um dia importante para o desenvolvimento da nossa logística de transporte no Brasil e também para Mato Grosso” – comemorou o senador Wellington Fagundes (PL-MT), presidente da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura (Frenlogi). Ele acompanhou a sessão no TCU, cujo processo foi relatado pelo conselheiro Augusto Nardes.
Fagundes explicou que a ferrovia de Mato Grosso é ligada à malha paulista, e que sua ampliação no Estado estaria condicionada aos investimentos a partir da divisa de São Paulo com Mato Grosso do Sul. O contrato terminaria em dezembro de 2028, mas o Ministério da Infraestrutura e a Agência Nacional de Transportes Terrestres apresentaram proposta de prorrogar antecipadamente o acordo por mais 30 anos.
Na renovação, a Rumo se comprometeu a realizar obras de ampliação da capacidade e de resolução de conflitos urbanos nas cidades paulistas que são atravessadas pela ferrovia. Com isso, aumenta-se a capacidade de transporte das atuais 35 para 75 milhões de toneladas. No percurso, serão realizadas duplicações, novos pátios, modernização de via, entre outras obras.
Wellington explicou que, atualmente, 100% da capacidade do transporte da Ferronorte está tomada. “Não tem como ampliar - salientou. Por isso, trabalhamos de forma conjunta, com apoio de toda a bancada, com participação incisiva do senador Jayme Campos, para que houvesse essa antecipação, que abre espaço para a concessão chegar até Cuiabá e depois ao Nortão do Estado”.
O projeto, reivindicado pela classe política de Mato Grosso, prevê também que, após chegar a Cuiabá, a ferrovia avance para o Norte do Estado, cobrindo todas as regiões produtoras e conectando-se ainda com os trilhos da Ferrogrão, que vai ligar Sinop a Miritituba, no Pará, e ainda à Transcontinental, cujo primeiro eixo será através da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste, a FICO, ligando Mara Rosa, em Goiás, até Água Boa.
Da Assessoria/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos