SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf
Rua Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, - Ed. Marechal Rondon - Centro Político Administrativo - Cuiabá-MT

Loja Oficial - Casa Prado

Loja Oficial - Casa Prado
Camisetas, Polos, Calças, Bermudas, Sapatos e Acessórios de Qualidade na Casa Prado!

sábado, 15 de fevereiro de 2020

"DESTAQUE: Rio de Janeiro tem primeira morte por sarampo em 20 anos"

Crianças aguardam para ser vacinadasSem ter sido vacinado, bebê de oito meses morreu no início de janeiro. Estado já registrou 189 casos em 2020. Doença que estava erradicada desde 2016, ressurgiu no país nos últimos anos. Um bebê de oito meses foi a primeira vítima fatal de sarampo no estado do Rio de Janeiro em 20 anos, informaram autoridades de saúde nesta sexta-feira (14/02). A doença foi considerada erradicada no Brasil em 2016, mas recentemente ela ressurgiu no país, com 18,2 mil casos registrados no ano passado. O bebê David Gabriel dos Santos, que estava num abrigo em Nova Iguaçu, morreu em 6 de janeiro num hospital da cidade da Baixada Fluminense. Ele estava internado com quadro de pneumonia. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, a morte por sarampo foi confirmada por exames de sangue.
A Secretaria informou ainda que, na época em que foi realizada a vacinação de rotina no abrigo, o bebê não foi vacinado por ter menos de seis meses, quando é aplicada a primeira dose da vacina contra o sarampo. Além dele, duas crianças e uma cuidadora contraíram a doença. Essa foi a primeira morte registrada por sarampo no estado desde 2000.
A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) declarou o sarampo erradicado do Brasil em 2016. O país, no entanto, voltou a registrar novos casos da doença no ano seguinte em Roraima e no Amazonas, a partir de pessoas infectadas com o vírus que vieram da Venezuela. O descuido com a vacinação contribui para a propagação da infecção pelo território nacional.
Segundo o Ministério da Saúde, foram registrados 18,2 mil casos de sarampo em 526 municípios em 2019 e 15 mortes em decorrência do vírus, sendo 14 delas no estado de São Paulo.
O secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, alertou que se a atual campanha de vacinação não atingir os objetivos, somente o estado pode registrar até 10 mil casos da doença neste ano. Até agora apenas 200 mil crianças e adultos dos 3 milhões esperados foram vacinados. No ano passado, foram registrados 333 infecções no Rio de Janeiro. Em 2018, foram 20.
"O sarampo estava banido do estado. Em 2016 e 2017 não tivemos casos de sarampo", disse Santos, afirmando que casos começaram a aparecer em 2018. "Já tivemos 189 casos só nos primeiros dois meses de 2020, mostra uma curva de subida que aponta que nós podemos ter no Rio de Janeiro este ano mais de 10 mil casos."
Muito comum na infância, o sarampo é uma doença infecciosa aguda, viral e extremamente contagiosa, transmitida por secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou mesmo respirar. Entre os principais sintomas da doença estão febre, tosse, manchas brancas do lado de dentro da boca, além de coriza e conjuntivite. O vírus pode ser fatal. Em alguns países é a principal causa de morte de crianças menores de cinco anos.
CN/efe/abr/ots/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos