SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

segunda-feira, 8 de junho de 2020

" Governo recua e diz que voltará a divulgar dados totais da covid-19"

Jair BolsonaroApós ser acusado de tentar omitir informações sobre a doença, Ministério da Saúde cria nova plataforma e promete transparência. Governo divulga, porém, dados divergentes sobre mortes e casos e gera confusão.Após a ampla repercussão negativa sobre mudanças na divulgação dos dados da covid-19 no Brasil, o Ministério da Saúde informou neste domingo (07/06) que voltará a publicar informações detalhadas em um novo portal de internet. A medida sinaliza um recuo do governo, após ser acusado de tentar omitir os dados sobre a doença no país. O ministério emitiu dois comunicados neste fim de semana afirmando que uma nova plataforma com os números da doença no país está sendo finalizada. Na última nota, a pasta relatou problemas técnicos que teriam comprometido a divulgação e informou que passaria a divulgar os dados com a data da morte, e não no dia em que as autoridades confirmaram a covid-19 como causa do óbito. O número acumulado de casos também deverá estar disponível.
A medida significa um recuo em relação à postura do governo, que nos últimos dias mudou a forma com os dados vinham sendo divulgados, o que gerou fortes críticas de diversos setores, como entidades de saúde, políticos e membros do Judiciário, e espalhou temores de manipulação dos números por parte do governo.
Na última sexta-feira, o ministério reforçou a ênfase na divulgação do número de pessoas recuperadas e passou a relatar apenas os novos casos e mortes nas últimas 24 horas, excluindo a informação sobre o total de infecções e óbitos, como vinha sendo feito desde o início da epidemia no Brasil.
No mesmo dia, porém, o portal com informações sobre a doença saiu do ar e retornou apenas no final da tarde de sábado, já com mudanças e apenas com as informações diárias.
No último sábado, o presidente Jair Bolsonaro confirmou a mudança na divulgação, afirmando que o propósito seria "evitar subnotificação e inconsistências". Na quarta-feira, o governo começou a enviar as informações às 22h, alegando que se fossem divulgados entre às 17h e 19h, como vinha ocorrendo, haveria risco de erro nas contagens.
Em um mesmo dia, duas contagens oficiais diferentes
Na noite deste domingo, o governo divulgou dados contrastantes sobre a covid-19. Um primeiro balanço divulgado em torno das 20h30 contabilizou 1.382 mortes nas últimas 24 horas, o que elevaria o total de óbitos desde o início da epidemia para 37.312. Já o número de novos casos seria 12.581 casos, totalizando 685.427.
Mas, em torno das 22h, o portal do Ministério da Saúde contabilizou apenas 525 mortes no mesmo período, o que representa uma diferença de 857 em relação à primeira divulgação, e apontou, porém, 18.912 casos. Até o momento, o órgão ainda não explicou os motivos da discrepância entre as duas contagens.
Com a polêmica em torno da divulgação dos dados, o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS), órgão não vinculado ao Ministério da Saúde que engloba as secretarias estaduais, criou seu próprio portal com informações sobre a doença.
O chamado Painel CONASS atualizará os dados diariamente às 17h, horário em que as secretarias enviam os dados para o Ministério da Saúde para serem incluídos no boletim nacional. Neste domingo, o portal contabilizou 1.116 mortes e 30.164 novos casos. O total no país desde o início da epidemia, segundo as secretarias, é de 36.151 óbitos e 680.456 infecções.
Em comunicado à imprensa, o presidente do CONASS e secretário de Saúde do Pará, Alberto Beltrame, afirmou que as decisões em gestão de saúde devem ser pautadas pela "ciência, verdade e informação precisa e oportuna".
RC/ots/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos