SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

terça-feira, 21 de julho de 2020

"SORORIDADE: Projeto aborda o tema “Mulheres em situação de risco” em reunião virtual'

O registro de feminicídio em Mato Grosso reduziu drasticamente por vítimas não conseguirem fazer a denúncia durante o isolamento social. Um fator preocupante e, até mesmo, alarmante, apontado por dados das Secretarias Estaduais de Segurança Pública do Brasil, é quanto a variação dos registros de feminicídio, no comparativo dos meses de abril e março, entre os anos de 2019 e 2020. De uma elevada variação de 400% em Mato Grosso, entre março de 2019 e o mesmo mês deste ano, em abril, quando começou o isolamento social, em boa parte do Estado, essa taxa caiu para 25%, no comparativo entres os meses de abril, de
um ano para o outro. A explicação é que, dentro de casa, em companhia do agressor, fica praticamente impossível a vítima fazer a denúncia, e, por isso, o baixo índice. 
Este relato foi apontado pela advogada Michelle Marie de Souza, pós-graduada em perícia criminal, ouvidora nacional e presidente da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (Abracrim), na última reunião do projeto “Mulheres da Grande Família”, que trouxe o tema “Mulheres em situação de risco”, para troca de experiências e conhecimento, em um bate-papo.
“O índice de diminuição não é por conta de que diminuiu a violência doméstica. Ela aumentou. Mas muitas mulheres estão como se estivessem em cárcere privado pelos agressores. Então, elas realmente não conseguem sair, se quer, para fazer uma denúncia. Eu tive que resgatar uma cliente da casa dela, que até o celular o marido tinha tomado. São situações como essas que estão acontecendo”, declara Michelle Marie, que também é criadora e coordenadora do Movimento de Combate aos Crimes Sexuais.
Esta foi a terceira reunião do grupo “Mulheres da Grande Família”, que contou com 26 participantes, realizada no dia 15 de julho. O projeto, desenvolvido por Leonora Sodré, visa reunir mulheres de todas as classes sociais e localidades, para trocar experiências, oferecendo, de forma voluntária, ajuda mútua, para a autoestima, saúde física e mental, e ao emponderamento feminino, com o combate da violência e conhecimento sobre direitos das mulheres. 
“O tema ‘mulheres em situação de risco’ foi muito importante porque a gente vê que a agressão não é só física, também tem a agressão verbal, moral e psicológica, como foram apontados pela advogada. Dentro do nosso grupo podem existir mulheres que não conhecem os seus direitos, mas com o nosso bate-papo podemos esclarecer e levar conhecimento a mais pessoas”, enfatiza a idealizadora do projeto, esposa do vereador, por Cuiabá, Luis Claudio (Progressistas). 
Excepcionalmente, por conta da pandemia, o projeto está funcionando de maneira virtual, em grupo de WathsApp. E toda quarta-feira é feita uma reunião temática, por videoconferência.
“Este tipo de projeto é essencial para promover o conceito de sororidade entre as mulheres. Para que elas comecem a entender esse papel, compromisso e aliança que uma tem que ter com as outras. De, realmente, levantar umas as outras, e, com isso, podermos conquistar o que todas almejam, que é o respeito”, acrescenta a advogada. 
A próxima reunião será com a maquiadora cuiabana, Mayara Strobel, que vai revelar alguns truques de maquiagem, ensinando a automaquiagem. Além disso, vai contar um pouco de sua trajetória profissional, de empreendedorismo, e de vida, que a tornou em uma maquiadora profissional conceituada e requisitada, com mais de 21 mil seguidores em seu perfil do Instagram. 
“Eu desenvolvo diversos projetos sociais e amo faze-los, desde criança, principalmente, pelo bom exemplo e incentivo do meu saudoso pai. Um deles é o de combate a depressão nas escolas. Minha esposa é uma incrível parceira, que me ajuda com as causas sociais e, agora, conduz o dela, somente com mulheres. Para ela, este projeto é uma realização, que está crescendo e já colhe bons resultados”, finaliza o vereador Luis Claudio. 
O grupo é exclusivo para mulheres e pretende expandir o número de participantes. Quem tiver interesse em fazer parte do projeto “Mulheres da Grande Família” pode entrar em contato no telefone (65) 99998-2305, com Thamires Rondon.
Beatriz Saturnino/Caminho Político
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos