TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

sábado, 15 de agosto de 2020

"Decisões sobre a pandemia não consideram a situação da mãe trabalhadora no cenário econômico "

Dentre os diversos impactos negativos causados pela pandemia da Covid-19, a situação da mulher que tem filhos pequenos é ainda mais complicada, sobretudo quando se alcança a fase da flexibilização da retomada das atividades. O alerta é feito pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso (CEDM), uma vez que o atual estágio criou uma condição impossível e aflitiva para as mães trabalhadoras. Presidente do órgão, a procuradora Glaucia Amaral lamenta que, mais uma vez, decisões são tomadas sem levar em conta o papel da mulher nas famílias.
“Dados oficiais mostram que 43% dos lares são chefiados por mulheres. E isso não foi colocado à mesa no momento de decidir. A mulher volta ao trabalho, mas não há solução nem alternativa para que elas possam fazer isso com as escolas e creches ainda fechadas”.
Glaucia destaca que nâo se defende a abertura de creches e escolas, uma vez que o índice de infestação pelo vírus segue elevado, mas que é necessário algum tipo de amparo para as mulheres. “Essa ausência é algo que ocorre há muito tempo. Ao longo dos anos, temos chamado a atenção para o fato de que sequer temos creches em número suficiente em nosso Estado, que possibilite a inserção plena da mulher que é mãe, no mercado de trabalho”.
Sem considerar a mulher no momento da tomada de decisão, pontua a procuradora, coloca milhares de mães na situação aflitiva de se decidir entre o sustento de seus filhos ou o bem-estar básico deles. “Por isso, avaliamos que o retorno pleno do comércio trouxe uma série de problemas para as mães trabalhadoras que não tem com quem deixar suas filhas e filhos, e, ainda, sem a supervisão de adultos responsáveis”, explica Glaucia.
A preocupação do Conselho também visa garantir a segurança de nossas crianças e adolescentes que não podem permanecer desassistidos em casa, sob o risco de acidentes, ou serem vitimas de abusos. Justamente por isso, a situação de estarem desassistidos de adultos é proibida por lei.
“Já houve casos em Mato Grosso em que mães acabaram presas por abandono de incapaz porque foram colocadas nesta situação desumana. E isso torna ainda mais verdadeiro o que escreveu Simone Beauvoir, quando disse que nas crises os direitos das mulheres são os primeiros a serem tolhidos e que a luta por eles deve ser constante”, finaliza a presidente do CEDM.
Assessoria/Caminho Político
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos