TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

"Três ex-executivos da Audi são denunciados por fraude na Alemanha"

Carros da marca AudiPromotoria acusa grupo de participação no escândalo de manipulação de emissões de motores a diesel para fazer veículos parecerem menos poluentes. Gerente da montadora também é acusado no processo.Três ex-integrantes da diretoria da montadora alemã Audi e um gerente aposentado do grupo foram denunciados por fraude em conexão com o escândalo de manipulação de emissões de motores a diesel, anunciou nesta quinta-feira (06/08) a promotoria de Munique, no sul da Alemanha. 
"Os quatro réus são acusados de fraude, falsas certificações indiretas e publicidade criminal", declaram os promotores de Munique em comunicado. O escândalo de manipulação de motores ficou conhecido como Dieselgate.Os três ex-executivos da Audi são acusados de estarem cientes das manipulações e, mesmo assim, não terem agido para impedir a fraude entre 2013 e 2015. O gerente aposentado é acusado de vender conscientemente veículos das marcas Audi, Volkswagen e Porsche com certificações falsificadas de emissões.
Um tribunal em Munique decidirá agora se aceita ou não as acusações da promotoria apresentadas contra o grupo.
As acusações foram apresentadas cerca de um ano depois que o ex-chefe da montadora alemã Rupert Stadler foi acusado de fraude. Ele está intimado a comparecer ao tribunal a partir de 30 de setembro. O processo contra Stadler e de seus associados deve durar até 2022 e estão previstos mais de 200 dias de audiências.
Depois do indiciamento do ex-presidente-executivo do grupo Volkswagen Martin Winterkorn, em abril de 2019, Stadler se torna a segunda figura de proa da indústria automobilística alemã a ser denunciada formalmente no âmbito do escândalo que envolveu a Volkswagen, companhia da qual a Audi faz parte.
O escândalo do Dieselgate surgiu em 2015, quando se tornou público que a Volkswagen havia manipulado milhões de carros em todo o mundo para permitir que estes passassem nos testes de emissões. Desde que admitiu a manipulação, a montadora teve que desembolsar mais de 30 bilhões de euros em multas, indenizações e recalls. Grande parte dessa quantia foi destinada a 500 mil consumidores americanos.
No início deste ano, a Volkswagen desembolsou 830 milhões de euros a consumidores alemães lesados – antes da determinação de um tribunal alemão de que a montadora havia enganado conscientemente seus clientes.
O escândalo tem assombrado o Grupo Volkswagen desde 2015 e pode culminar e outras centenas de milhões em ressarcimentos. O grupo divulgou perdas de 1,4 bilhão de euros no primeiro semestre de 2020, com queda nas vendas devido à pandemia do coronavírus.
PV/afp/dpa/rtr/cp
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos