DIRETO DA VENEZUELA

DIRETO DA VENEZUELA
Tweets por ‎@infoenlaceweb INSTAGRAM @INFOENLACEWEB

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Endereço: Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

"DESTAQUE: Barranco critica líder do governo que preside a CCJR"

O parlamentar cobrou isenção de Dilmar Dalbosco (DEM) na análise das proposições. O deputado Valdir Barranco (PT) cobrou isenção e agilidade da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) na análise e votação das proposições apresentadas pelos 24 parlamentares e fez duras críticas a seu presidente, deputado Dilmar Dalbosco (DEM). Projetos de lei criados pela Comissão Especial que analisou a volta às aulas no estado com segurança sanitária, no pós-pandemia, foram barrados pela comissão. Segundo Barranco, que presidiu os trabalhos, “em favor do Governo e em desfavor do povo”.
“Trabalhamos 110 dias. Fizemos 12 reuniões com especialistas de todo o Brasil. No final, apresentamos três preposições que receberam pareceres contrários da CCJR; um desrespeito ao trabalho realizado por deputados e por estes profissionais gabaritados. Temos uma comissão que trabalha contra o parlamento em favor do governador. Não dá para o deputado Dilmar ficar aqui defendendo o governo; já bastam as dificuldades que temos para que nossos projetos aprovados por esta Casa possam prosperar no Executivo. Precisamos de uma comissão isenta”, cobrou o parlamentar.
Barranco pediu aos membros da comissão que no próximo ano elejam novo presidente.
Barranco disse, ainda, que uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC 30/2019), de sua autoria, está a mais de um ano parada na CCJR esperando análise. A proposta cria o Comitê Estadual de Acompanhamento de Conflitos Fundiários de Mato Grosso. “O deputado Dilmar ficou sentado sobre a PEC por um ano, enquanto vários conflitos agrários aconteciam no nosso estado. Depois, quando o deputado Silvio Fávero (PSL), membro da CCJR, deu parecer favorável, ele pediu vista. Precisamos que a CCJR não trabalhe contra o povo, não trabalhe contra o parlamento”, ressaltou Valdir Barranco.
“O deputado Dilmar é presidente “ad aeternum” desta CCJR. Até quando ele vai continuar presidindo a CCJR? Levanto-me, aqui, para que os membros da comissão possam, a partir do ano que vem, tomar uma iniciativa”, concluiu.
Robson Fraga/Caminho Político
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos