PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

CRECI-MT

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Senadores concluem propostas para preservação do pantanal

Relatório com sugestões e indicações foi aprovado hoje e vai ser encaminhado a vários órgãos.
A criação de um Fundo do Pantanal, constituído por doações nacionais e internacionais e gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a implantação de um selo de certificação de qualidade de produtos estão entre as propostas aprovadas nesta quinta-feira, 10, pela Comissão Temporária do Pantanal. Os itens constam do relatório final do senador Nelsinho Trad (PSD-MS).
O relatório aprovado por unanimidade sugeriu que a aplicação dos recursos seja acompanhada por um Conselho do Pantanal, a exemplo do que é feito pelo Conselho da Amazônia. Os investimentos serão direcionados a ações de desenvolvimento sustentável e conservação do bioma.
Presidida pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), a CTE foi criada pelo Senado em setembro passado para acompanhar as ações de prevenção e combate aos incêndios no pantanal, que consumiram 4 milhões de hectares, no que se considera a maior tragédia ambiental no bioma.
O relatório apresenta sete indicações para soluções econômicas e de gestão do pantanal e outras cinco nas áreas ambiental e de infraestrutura. “Essas indicações serão encaminhadas ao governo federal”, conta o senador.
Entre as soluções econômicas sugeridas, o relatório aponta outras possíveis fontes de recursos, como a criação de um programa da Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia) para a recuperação emergencial das áreas atingidas pelos incêndios neste ano.
“Na última reunião do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), ocorrido em 07 de dezembro, o Conselho Deliberativo aprovou um auxílio emergencial de R$ 180 milhões para recomposição das atividades econômicas na planície pantaneira atingida pelos incêndios, comemora o relator da CTE”, senador Nelsinho Trad (PSD-MS).
Também estão entre as sugestões a prorrogação de pagamento das operações de crédito rural, uma linha de ação dentro do Plano Nacional para Controle do Desmatamento Ilegal e Recuperação da Vegetação Nativa, a criação de um selo de sustentabilidade para produtos da região, a captação de recursos externos e a criação de uma Companhia de Desenvolvimento da Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai.
O relatório, de 130 páginas, fruto das discussões realizadas em 12 audiências com a participação dos mais diferentes segmentos da sociedade, sugere medidas como a articulação e unificação das ações do Poder Público e a sociedade, a prevenção aos incêndios com a formação e o aumento do número de brigadistas bem como a implantação de uma base permanente para monitoramento do pantanal, a melhoria da infraestrutura de transportes e telecomunicação, o atendimento a animais atingidos pelo fogo, o fomento ao ecoturismo e a criação de um sistema integrado de informações sobre o bioma.
Já em relação ao Estatuto do Pantanal, que vai contemplar objetivos, princípios e diretrizes gerais para promover o desenvolvimento sustentável da região, com ênfase nas características do bioma e nos anseios do povo pantaneiro, proporcionando o reconhecimento do valor da biodiversidade desse bioma para as futuras gerações, será apresentado pelo senador Wellington Fagundes e seguirá a tramitação ordinária no Senado e na Câmara dos Deputados.
Depois de aprovado o relatório, a CTE volta a se reunir na próxima terça-feira para uma audiência com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para discutir medidas a serem adotadas emergencialmente em relação ao pantanal. Segundo o senador Wellington Fagundes, é possível que a reunião inclua a presença do presidente Jair Bolsonaro.
SUBCOMISSÃO PERMANENTE
A CTE foi formada pelos senadores Wellington Fagundes, Jayme Campos e Carlos Fávaro, de Mato Grosso; Simone Tebet, Soraya Thronicke e Nelsinho Trad, de Mato Grosso do Sul, além dos senadores Esperidião Amin (SC) e Fabiano Contarato (ES). Existe a proposta, do próprio senador Wellington, para que ela seja transformada em uma Subcomissão da Comissão Temática de Meio Ambiente.
“O trabalho que realizamos – exposto neste relatório do senador Nelsinho Trad – todavia, não é o fim. Está longe disso. Pelo contrário, este documento nos aplica adicionais responsabilidades” - disse Fagundes.
Fagundes ressaltou que, a luz apenas das condições climáticas cíclicas previstas, tendem a continuar. “Longe de mim ser o cavaleiro do apocalipse, mas é preciso dizer que se não fizermos um acompanhamento mais próximo, mais detido, mais afinado, o cenário pode ser ainda pior em 2021” - frisou.
da assessoria/Caminho Político
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos