SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

PGR apura conduta de Bolsonaro e Pazuello na pandemia

Procurador-geral abre investigação preliminar sobre ações do presidente e do ministro da Saúde em relação à crise provocada pela covid-19 no Amazonas e no Pará. Propagação da cloroquina também é alvo da apuração. O procurador-geral da República, Augusto Aras, abriu uma apuração preliminar sobre a conduta do presidente Jair Bolsonaro e de seu ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na crise sanitária no Amazonas e no Pará.
Aras respondeu a uma chamada notícia-crime encaminhada pelo PC do B ao Supremo Tribunal Federal (STF). Fazendo referência especialmente à grave situação nos dois estados da região Norte, oito deputados do partido pedem que Bolsonaro e Pazuello sejam investigados e responsabilizados por "inércia" e uma "postura isentiva" em relação a políticas de combate ao coronavírus.
Aras afirmou ao STF que, a partir da notícia-crime, foi instaurada uma apuração preliminar, que poderá levar a uma investigação formal. "Caso, eventualmente, surjam indícios razoáveis de possíveis práticas delitivas por parte dos noticiados, será requerida a instauração de inquérito neste Supremo Tribunal Federal", disse.
Deputados denunciam "descompromisso"
Os parlamentares do PC do B denunciam que a grave crise da falta de oxigênio devido à pandemia, que inicialmente assolou Manaus, agora ocorre também no estado Pará.
"O ‘descompromisso' de Bolsonaro e Eduardo Pazuello com o enfrentamento à covid-19 deixou gestores locais à deriva, tendo que administrar por conta própria fluxos e demandas que, via de regra, dependem de uma lógica conjunta – a mesma que orienta o Sistema Único de Saúde (SUS), que opera de forma tripartite, envolvendo União, estados e municípios", diz a notícia-crime, segundo nota divulgada no site do partido nesta quinta-feira (04/02).
Os parlamentares afirmam ainda que o presidente e o ministro da Saúde propagaram o uso de medicamentos que não possuem eficácia científica, em referência à cloroquina e à hidroxicloroquina, o que será agora apurado pela PGR.
A conduta do Ministério da Saúde em relação à cloroquina e à hidroxicloroquina – repetidamente defendidas por Bolsonaro, apesar de não haver comprovação científica de sua eficácia contra a covid-19 – também é apurada no Tribunal de Contas da União (TCU), após uma auditoria apontar irregularidades nas verbas destinadas à aquisição dos medicamentos.
Pazuello já estava na mira do STF
A pedido de Aras, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, autorizou na semana passada a abertura de um inquérito para investigar a conduta de Pazuello em relação ao colapso da saúde pública de Manaus. O inquérito, que não envolve Bolsonaro, é uma resposta a denúncias apresentadas por vários partidos políticos, pressupondo que o ministro da Saúde "tinha dever legal e possibilidade de agir para mitigar" a crise.
Aras argumentou que o Ministério da Saúde recebeu informações sobre um possível colapso do sistema de saúde na capital do Amazonas ainda em dezembro, mas só enviou representantes à região em janeiro deste ano.
Nesta quinta-feira, Pazuello foi interrogado no âmbito da investigação. O conteúdo do depoimento encontra-se sob sigilo. Segundo o Ministério da Saúde, o ministro detalhou as ações no Amazonas para combater a pandemia e colocou-se à disposição para mais esclarecimentos.
lf/as (Reuters, Lusa, ots)cp
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos