TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

sábado, 6 de março de 2021

Venezuela lança cédula de 1 milhão

Banco Central anuncia novas notas, com valores também de 200 mil e 500 mil bolívares. País enfrenta hiperinflação.O Banco Central da Venezuela (BCV) anunciou nesta sexta-feira (05/03) três novas cédulas, de 200 mil, 500 mil e 1 milhão de bolívares, que começarão a circular "gradualmente" a partir da próxima segunda.
Em breve comunicado, o BCV informou que elas foram implementadas para "complementar e otimizar o conjunto de cédulas atual, para atender às exigências da economia nacional".
Atualmente, a nota venezuelana de maior valor é a de 50 mil bolívares, que equivalia a R$ 0,15 no câmbio de sexta-feira. A cédula de 1 milhão de bolívares, portanto, corresponde a R$ 3,04.
ação. Na maioria das vezes, os preços têm sido exibidos na moeda americana por empresas.
As três novas cédulas terão a imagem de Simón Bolívar na frente, com uma arte quase idêntica à das notas que hoje estão em desuso no país.
No verso das de 200 mil e 500 mil bolívares há a imagem do "mausoléu do libertador", e no da nota de 1 milhão aparece a imagem comemorativa do Bicentenário da Batalha de Carabobo, decisiva na Guerra da Independência venezuelana.
A última vez que o conjunto de cédulas havia sofrido mudanças foi em junho de 2019, quando foram incorporadas as notas de 10 mil, 20 mil e 50 mil bolívares.
Em agosto de 2018, com o propósito de combater a hiperinflação, o governo do presidente Nicolás Maduro ordenou um corte de cinco zeros na moeda nacional, o bolívar, então chamado bolívar forte e que depois da alteração passou a ser chamado de bolívar soberano.
rpr (efe/ots)cp
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos