PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

terça-feira, 29 de junho de 2021

CORONAVÍRUS: Coronavac é segura em crianças e adolescentes, aponta estudo

Pesquisa com 552 participantes entre 3 e 17 anos feita na China indica que 96,8% deles tiveram resposta imunológica detectável contra a covid-19. Eficácia da vacina na faixa etária será avaliada em outro estudo clínico. A vacina Coronavac é segura e provoca resposta imunológica em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos, segundo resultados de uma pesquisa publicada nesta segunda-feira (28/06) na revista científica The Lancet.
A Coronavac foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e é produzida no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. Segundo painel mantido pelo Ministério da Saúde, o imunizante é até o momento o mais usado no Brasil, com 47% das doses aplicadas.
O estudo de fase 1 e 2 contou com a participação de 552 crianças e jovens saudáveis entre os 3 e os 17 anos da província de Hebei, na China, e é o primeiro a avaliar a segurança e a resposta imunológica da Coronavac em pessoas dessa faixa etária. A pesquisa não mediu a eficácia da vacina, que será aferida em uma novo estudo clínico, de fase 3.
Os efeitos colaterais em crianças e adolescentes foram leves e moderados, semelhantes aos encontrados nos adultos que tomam a vacina, e incluíram dor no local da injeção, que afetou 13% dos participantes, e febre, sentida por 5% deles, e cessaram em até 48 horas.
Os pesquisadores realizaram exames nos vacinados 28 dias após terem tomado a segunda dose da vacina, e 96,8% deles haviam produzido resposta imunológica detectável contra a covid-19, um forte indicador de proteção caso a pessoa venha a se expor a uma eventual infecção pelo coronavírus.
A biomédica Mellanie Fontes-Dutra, integrante da Rede Análise COVID-19, ponderou no Twitter que o tamanho da amostra do estudo é pequeno e que faltam dados sobre a duração da resposta imunológica, mas a pesquisa é "um bom indicativo" para o uso da Coronavac nessa faixa etária.
O estudo foi realizado pela Sinovac em parceria com instituições chinesas. O Instituto Butantan, em nota, disse que os resultados "indicam um ótimo perfil de segurança e bons títulos de anticorpos neutralizantes induzidos pelo imunizante" e que os encaminhou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
No Brasil, somente a vacina da Pfizer-BioNTech foi aprovada até o momento para uso em pessoas na faixa de 12 a até 18 anos.
Vacinação de crianças e adolescentes
A vacinação de crianças e adolescentes é considerada essencial para que os países alcancem a imunidade coletiva contra a covid-19, atualmente estimada por epidemiologistas em mais de 80% da população.
Incluir essa faixa etária é necessário mesmo em países onde as pessoas com menos de 18 anos representam menos de 20% da população, como na Alemanha, onde são de 16,4%, para compensar o fato de que nem todos os adultos se dispõem a ser vacinados.
No mundo, a proporção de crianças e adolescentes até 17 anos na população mundial é de 30,2%, segundo estimativas do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas.
Além disso, apesar de crianças e adolescentes desenvolverem casos graves da covid-19 com frequência menor do que os adultos, uma parcela delas acaba tendo que se internada, e algumas morrem.
Alguns países, como Estados Unidos e Canadá, já aplicam a vacina da Pfizer-BioNTech em jovens de 12 anos ou mais. O uso do imunizante da Pfizer-BioNTech em pessoas dessa faixa etária também já foi aprovado pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês). A Alemanha pretende vacinar estudantes com mais de 12 anos contra a covid-19 até o fim de agosto, se houver doses disponíveis.
Um estudo com 2.260 voluntários realizado no final de março mostrou que a vacina da Pfizer-BioNTech é 100% eficaz em adolescentes de 12 a 15 anos. A Moderna também já realizou um estudo que identificou eficácia de 100% em pessoas de 12 a 18 anos. Outros fabricantes de vacinas também realizam estudos com suas vacinas em crianças e adolescentes.
bl/lf (Efe, Lusa, ots)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos