PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

CRECI-MT

sábado, 5 de junho de 2021

Programa de educação física adaptada para alunos com deficiência pode ser criada em escolas de Mato Grosso

Elaborado pelo deputado Barranco, proposta faz com que instituições públicas e particulares implantem plano educacional que possibilite a prática de alunos com deficiência e/ou mobilidade reduzida.
Estimular a inclusão de crianças e jovens na escola tem se tornado algo cada vez mais importante no cenário da educação. Ao analisarmos competências socioemocionais como empatia, amabilidade e consciência, notamos que elas irão esbarrar no conceito de inclusão. E a educação física é uma das melhores disciplinas para isso, pois através de atividades e brincadeiras promove a interação de todos os alunos e alunas, e cria oportunidades para as pessoas com deficiência mostrarem que também são capazes de evoluir em conjunto.
Pensando nisso, o deputado estadual Valdir Barranco (PT) elaborou o Projeto de Lei nº 181/2020, aprovado em primeira votação na Assembleia Legislativa, que determina que as instituições de ensino público e particular de Mato Grosso mantenham programas de educação física adaptada aos alunos com deficiência e/ou com mobilidade reduzida.
“Muitas das vezes, as crianças com deficiência são afastadas, isoladas e não interagem com os demais alunos no momento da educação física por falta de programas focados em sua inclusão. E a criação desse projeto faz com que a aula seja elaborada pensando nesses alunos e alunas. É o ensino que deve se adaptar ao estudante, e não ele se adaptar a normas preestabelecidas”, comentou Barranco.
De acordo com o texto, os estabelecimentos de ensino devem trabalhar de forma integrada com as entidades que prestam serviços educacionais para pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, e promover a capacitação de professores e técnicos da área de educação física, no tema de inclusão social de educação física adaptada.
Ainda segundo a matéria, campanhas de divulgação e a conscientização da sociedade com o intuito de construir uma cultura de educação inclusiva devem ser criadas e a escola que descumprir o programa será impedida de participar de qualquer programa estadual de incentivos diversos.
Em sua justificativa, Barranco afirma que o projeto visa promover a inclusão das pessoas com deficiência no contexto social, através da inclusão dos alunos e alunas em uma atividade física e esportiva. “A participação ativa e efetiva da criança com deficiência nas atividades de educação física junto com seus colegas é um importante instrumento de inclusão e de conscientização dos demais alunos, além de estimular praticas saudáveis para todos. Assim sendo, é necessário que cada vez mais se possibilite às pessoas com deficiência a prática esportiva e o seu desenvolvimento social, sendo exatamente este o objetivo do projeto.”
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos