PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quinta-feira, 29 de julho de 2021

EVENTO EM ROMA: Tereza Cristina defende sustentabilidade do agro na pré-cúpula de sistemas alimentares

A ministra da Agricultura fez questão de comparecer ao evento para reforçar boas práticas que garante destaque na produção agrícola. A pré-cúpula dos Sistemas Alimentares foi encerrada nesta quarta, 28. O evento comandado pela Organização das Nações Unidas (ONU) durou três dias e levou líderes de todo o mundo a discutir como mudar os sistemas alimentares para alcançar os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável. Entre as metas estão o de erradicar a pobreza e levar a fome a zero junto da agricultura sustentável. A ministra Tereza Cristina esteve em Roma e participou tanto do evento como de agendas bilaterais.Ao longo de três dias, a ministra da Agricultura defendeu a produção agropecuária brasileira e das Américas na programação oficial da pré-cúpula e em diálogos promovidos pelo Instituto Interamericano de Cooperação para Agricultura (IICA).
“Somos exemplos de produção com sustentabilidade, condição que contribui para que sejamos a maior região produtora de alimentos no mundo. É imprescindível portanto que nossas perspectivas sobre a evolução dos sistemas alimentares sejam não apenas ouvidas, mas incorporadas às narrativas que estão sendo produzidas nesta pré-cúpula”, disse a ministra.Para o assessor especial do governo e integrante da comitiva brasileira na Cúpula Internacional de Sistemas Alimentares, Fernando Zelner, as impressões negativas sobre a produção agrícola no Brasil que podem ser apresentadas na cúpula representam um risco na interferência de comércio com outros países.
“O perigo é você ter uma narrativa que é contrária ao interesse do Brasil e que aí é levada, por exemplo, para a Organização Mundial do Comércio. É importante mostrar nosso ponto de vista e ainda ressaltar o papel da América Latina, que é a maior região exportadora líquida de alimentos e a maior região provedora de serviços ambientais. Você não pode falar de alimentos e não levar em conta o que a América Latina pensa”, ressalta Zelner.
A cúpula dos sistemas alimentares que acontecerá em setembro, em Nova York, foi convocada pelo secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, em 2020. Em dezembro do mesmo ano, acadêmicos e membros de ONGs determinaram linhas de ação na mudanças destes sistemas a convite da ONU. Alguns itens preocupam o Brasil e outros países, por isso a ministra decidiu participar do evento presencialmente.
A primeira linha de ação trata de acesso a alimentos seguros e nutritivos. Entre as sugestões está a ampliação de programas de proteção social e a redução de custos de dietas saudáveis e nutritivas.
A segunda linha do consumo sustentável e saudável propõe o aumento da diversidade e do acesso a alimentos saudáveis a pessoas pobres e também a redução do consumo excessivo de alimentos de origem animal, em especial a carne vermelha.
A terceira linha trata da produção em escala de alimentos de forma positiva para a natureza e sugere, por exemplo, a proteção de ecossistemas naturais e a restauração de áreas degradadas para uso de produção de alimentos.
Na promoção de sustento e distribuição de valor se fala em ter políticas específicas para meninas e mulheres rurais e também o fortalecimento de rurais pobres ante riscos climáticos.
E no propósito de construir resiliência contra choques e tensões, se propõe a criação de financiamento e parcerias público-privadas e a identificação de práticas prejudiciais ao agro como excesso de adubação, uso de fertilizantes e irrigação.
Em uma publicação nas redes sociais, a ministra destacou que o brasil pode dar exemplo com programas como o de alimentação escolar que proporciona alimento saudável aos mais vulneráveis e renda aos agricultores. Tereza Cristina ainda debateu o assunto de forma direta com o diretor geral da FAO e com a secretária-geral adjunta da ONU.
Os debates da pré-cúpula servirão de base para a cúpula que será realizada em setembro em Nova York. Lá, o secretário geral deve publicar um documento com diretrizes para a mudança dos sistemas alimentares.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos