PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Relação entre coração e transtornos mentais

Sabemos que o mês de setembro é chamado de Amarelo que tem como norte uma campanha de prevenção ao suicídio e que essa prática normalmente é motivada pela depressão, principalmente entre os jovens de 15 a 29 anos.
Mas o que isso tem a ver com o coração? Vamos falar sobre do cruzamento da nossa saúde mental e nossa saúde Cardiovascular. Doenças cardíacas e a saúde mental. Quando o assunto são as ligações entre a saúde mental e do coração, vale o ditado: "Coração quente, cabeça fria". Pessoas com doenças cardiovasculares também têm mais chances de desenvolver transtornos mentais como depressão e ansiedade. Por isso, sintomas como apatia, insônia exagerada e falta de apetite não devem ser ignorados por pessoas próximas. Esse quadro pode ser explicado pela constante variação de humor, situações de estresse e desregulação hormonal. É muito importante ficar atento e buscar ajuda imediatamente.
O Brasil é considerado o país mais ansioso e estressado da América Latina. De acordo com a OMS, nos últimos dez anos, o número de pessoas com depressão aumentou 18,4%.
Avanços na psiquiatria biológica permitiram a descoberta de numerosas alterações neuroquímicas, neuroendócrinas e neuroanatômicas na depressão unipolar e essas alterações são importantes porque contribuem para aumentar a vulnerabilidade de um paciente deprimido a uma doença cardiovascular.
Os estudos recentes sugerem que a depressão principal é um fator de risco não somente para o desenvolvimento da doença coronariana (DAC), mas também, para a mortalidade entre os pacientes que tiveram um infarto do miocárdio.
O grau de depressão varia desde um leve transtorno de ajustamento a um transtorno depressivo maior severo. A queixa psiquiátrica pode ser uma manifestação de doença ou resultar dos sintomas de uma doença cardiovascular (dor torácica) e estará a cargo da interpretação do médico. Isso ocorre com freqüência com os mais idosos. Muitos medicamentos, bem como doenças médicas comumente produzem depressão.
Por isso é importante sempre estar realizando exames de rotina com seu cardiologista para que o médico avalie a necessidade de se trocar a medicação ou associá-la a um acompanhamento psiquiátrico. Fica a dica!
Max Lima é médico especialista em cardiologia e terapia intensiva, conselheiro do CFM, médico do corpo clínico do hospital israelita Albert Einstein, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Mato Grosso(SBCMT), Médico Cardiologista do Heart Team Ecardio no Hospital Amecor e na Clínica Vida , Saúde e Diagnóstico. CRMT 6194. Email: maxwlima@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos