PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

terça-feira, 21 de setembro de 2021

STJ torna governador do Amazonas réu por compra irregular de respiradores

Ministério Público aponta prejuízo de R$ 2,2 milhões ao estado em aquisição direcionada. Wilson Lima (PSC) afirma que provará sua inocência. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta segunda-feira (20/09) aceitar uma denúncia e abrir ação penal contra o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), acusado de diversos crimes relacionados à compra de respiradores para pacientes com covid-19.
Lima havia sido alvo de uma operação da Polícia Federal em junho de 2020, que apurava a compra de respiradores superfaturados, e teve parte de seus bens bloqueados pela Justiça.
Segundo denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), apresentada em abril, os equipamentos custaram mais que o dobro do que o preço de mercado e a aquisição provocou prejuízo de R$ 2,2 milhões ao estado do Amazonas.
Entre outras irregularidades, o Ministério Público afirma que uma empresa do ramo da saúde, que já tinha contratos com o governo, vendeu os respiradores para uma adega de vinhos, que por sua vez revendeu no mesmo dia os equipamentos para o estado.
O governador responderá pelos crimes de peculato, organização criminosa, embaraço às investigações e outros tipificados na Lei de Licitações. Outras 13 pessoas também são réus no mesmo processo.
O ministro Francisco Falcão, relator do caso, afirmou que havia elementos suficientes para tornar Lima réu. "Existe justa causa para se considerar o governador do Amazonas partícipe nos delitos de dispensa de licitação direcionada e partícipe da fraude na aquisição de 28 respiradores que tiveram preços elevados com abusividade", afirmou. "As condutas teriam sido praticadas em plena pandemia da covid-19, que ceifou milhares de vidas de brasileiros, inclusive no próprio estado do Amazonas."
O voto de Falcão foi acompanhado por outros 11 ministros do STJ. O presidente da Corte, Humberto Martins, não votou, e outros dois ministros estavam ausentes. Nenhum magistrado da Corte se opôs à abertura da ação penal.
Governador afirma ser inocente
O advogado Nabor Bulhões, advogado de Lima, afirmou que seu cliente é inocente, que a investigação trata de "crimes absolutamente incogitáveis" e que o Ministério Público agiu de forma "abusiva" no caso.
O governador divulgou nota à imprensa afirmando que provará sua inocência. "As acusações contra mim não têm fundamento e tampouco base concreta, como ficará provado no decorrer do julgamento. Nunca recebi qualquer benefício em função de medidas que tomei como governador. A acusação é frágil e não apresenta nenhuma prova ou indício de que pratiquei qualquer ato irregular. Agora, terei a oportunidade de apresentar minha defesa e aguardar, com muita tranquilidade, a minha absolvição pela Justiça", afirmou.
bl (ots)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos