Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Seu título está na mão

Seu título está na mão
1º Título de Eleitor Decreto nº 3.029 - 9.1.1881

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ
Praça Moreira Cabral - Centro - s/n - Cuiabá-MT

sábado, 16 de outubro de 2021

Tecnologia garante boas safras na Bom Futuro

Planejamento, monitoramento via aplicativos e inteligência de dados fazem a base de sucesso na implantação das safras. A agricultura se modernizou e há muita tecnologia no campo a favor do produtor. Diversas ferramentas são utilizadas para uma visão ampliada das lavouras. “É como olhar uma fazenda, uma região ou a empresa inteira em uma tela, e poder acompanhar se determinado processo está caminhando conforme o planejado”, afirma David Mendes, gerente de Inovação Digital e Planejamento Agrícola da Bom Futuro. Para que isso funcione, há uma riqueza de fontes de dados gerando informação de qualidade o tempo todo, explica o gestor.
O sucesso e a economia de recursos em uma lavoura não vêm somente de uma fonte, segundo Mendes. O mercado é volátil, os custos mudam safra após safra – especialmente para os insumos agrícolas. “Devido à análise e planejamento de cenários nos preparamos para a alta nos custos de fertilizantes e defensivos, antecipando a aquisição de produtos com demanda crescente, por exemplo”, diz Mendes.
Quando os produtos estão “dentro de casa”, é preciso otimizar o uso para que não haja desperdício ou má utilização – é quando a equipe técnica de manejo da Bom Futuro entra em ação. São 30 encarregados em agricultura de precisão e centenas de coordenadores técnicos de lavoura treinados para auxiliar o trabalho, executando a correção de solo por ambiente de produção.
“Por exemplo, é realizada a análise de solo direcionadas e estruturadas em uma área da fazenda, para que haja uma boa leitura dos indicadores nutricionais, permitindo aplicar os insumos em taxa variável ou direcionada para célula específica, sem desperdício e permitindo alcançar o seu maior potencial produtivo. Em anos de baixa oferta de insumos ou de valores para a aquisição dos mesmos estarem elevados, o uso racional destes recursos proporcionará resultados satisfatórios”, conta o gerente.
O manejo e a disponibilidade de variedades de sementes fazem toda a diferença, segundo o gerente. A Bom Futuro tem campos de sementes que permitem trabalhar com agilidade nos cenários previstos no planejamento de safra. “Permite mudarmos quando for necessário e colocar uma variedade adequada para aquela janela de plantio, mesmo em cenário de seca, permitindo alterarmos o posicionamento de uma variedade para que fique mais adequada à janela de plantio, focando na implantação da segunda safra com algodão e milho.”, comenta Mendes.
Após a implantação das lavouras, as equipes da Bom Futuro fazem relatórios diários dos monitoramentos a campo, usando os aplicativos especializados na coleta da informação. O estudo de condições climáticas e recursos de previsão do tempo a longo prazo, aliado ao incremento das estações meteorológicas, dão assertividade ao processo.
“Nesses casos, há o risco de possível replantio, o que leva a um gasto a mais com combustível e sementes. Por isso, ficamos atentos para não errar no que está dentro da nossa capacidade de gestão: ter um bom funcionamento mecânico, adotar agricultura de precisão, fazer tratamento de sementes, sempre de olho para minimizar o prejuízo”.
A avaliação fitossanitária realizada pelos monitores técnicos nas lavouras foi direcionada para um aplicativo de celular que apresenta quando há a incidência de pragas, doenças ou ervas daninhas no ponto exato dentro do talhão a ser trabalhado, por meio de um mapa de calor ou mapa de ocorrência georreferenciado. Dessa forma, a aplicação dos defensivos agrícolas é feita pontualmente, reduzindo a quantidade utilizada e gerando economia, além de ser uma prática responsável ambientalmente. Os técnicos também são alertados, nesse monitoramento, sobre os talhões onde foram aplicados defensivos químicos e não devem ser visitados por medida de segurança.
A utilização de telemetria nos maquinários agrícolas proporcionou à empresa uma visão ampliada das condições de uso destes equipamentos “Temos painéis de gestão de frota, onde monitoramos o consumo de combustível, acompanhamos as condições de cada máquina e sabemos se está parada ou em trabalho. Alertas e relatórios diários tem contribuído com este processo, sabemos onde e em tempo real as condições da operação que está sendo executada, nos permitindo agir rapidamente para não ter prejuízos”, detalha David Mendes.
Thielli Bairros/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos