PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

sexta-feira, 5 de novembro de 2021

Pesquisa evidencia a falta de transparência na OAB-MT

Dar visibilidade a todos os atos da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Mato Grosso (OAB-MT) é uma das propostas da chapa “Nova OAB”, liderada pelo advogado e professor Pedro Paulo Peixoto Junior e pela advogada e procuradora do Estado, Gabriela Novis, que concorrem à presidência da entidade.
A preocupação dos advogados e advogadas que compõem a chapa Nova OAB e seus apoiadores é por causa da dificuldade em acessar informações sobre a utilização dos valores pagos em anuidades pelos profissionais de Direito, como, por exemplo, nos contratos publicitários.
Outro exemplo de manipulação e falta de transparência foi a pesquisa divulgada nesta quarta-feira (03/11) pelo site Folhamax. Primeiro, porque o banco de dados dos advogados inscritos na OAB-MT só foi liberado para acesso e, consequentemente, pesquisas, na última sexta-feira (29/10). A pesquisa foi feita de 18 a 24 de outubro, antes do registro das chapas e liberação dos dados dos eleitores e, desta forma não se poderia ter o contato dos profissionais aptos a votar e muito menos o tamanho do universo a ser pesquisado.
"Precisamos de mais transparência em toda a OAB-MT. Apoiadores da chapa da situação acabam de dar provas sobre isso ao divulgar uma pesquisa em relação às eleições da Ordem no site Folhamax. Notem bem, não estamos aqui fazendo qualquer consideração negativa ao Instituto Vetor, de enorme tradição em nosso Estado, que foi induzido a erro. O próprio Folhamax anunciou que a pesquisa foi realizada entre os dias 18 e 24 de outubro. Pois bem, nessa data, nem a OAB sabia quais e quantos advogados e advogadas adimplentes existiam”, explica o advogado Pedro Paulo Peixoto.
No caso das pesquisas eleitorais é importante que se saiba o número exato de eleitores a ser estudado. A partir do momento em que mais da metade da advocacia não está apta a participar do pleito, o cálculo da margem de erro sobe exponencialmente, fazendo com que a pesquisa, muitas vezes, retrate uma imagem diferente da realidade.
"Essa pesquisa, por exemplo, é mais uma manobra que desrespeita a advocacia mato-grossense, que está cansada de uma gestão torta", diz o candidato à presidência Pedro Paulo.
"A advocacia de Mato Grosso não é massa de manobra. Ela nunca acreditaria em uma pesquisa feita de forma irregular, publicada em um veículo que nos últimos dois meses divulgou 40 notícias a favor da chapa deles e uma notícia contra a nossa chapa. Esse tempo de política suja na OAB vai acabar. Nossa gestão irá implantar um portal de transparência onde os advogados e advogadas poderão ver onde cada centavo da sua anuidade está sendo investido", afirma Pedro Paulo, referindo-se à chapa opositora.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos