PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

domingo, 21 de novembro de 2021

Projeto jornalístico orientado por dados aborda casos típicos de racismo

Empresa que produz material jornalístico orientado por dados e focado em pautas de gênero e raça, a Gênero e Número levantou e organizou depoimentos e informações sobre casos típicos de racismo no Brasil.
Diretora de conteúdo e coordenadora do projeto, Maria Martha Bruno explica que o objetivo é visibilizar episódios de racismo e "seus efeitos nefastos". "Sobretudo em um país que teima em negar o racismo cotidiano, inclusive nas altas esferas de Brasília, como mostram atitudes e declarações do presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, e de Jair Bolsonaro”, prossegue Maria. Ela explica que a coleta de dados começou em um survey online realizado em outubro último. "Nos próximos meses, os dados coletados serão analisados sob os ângulos qualitativo e quantitativo”, explica Flávia Bozza Martins, pesquisadora e analista de dados da Gênero e Grau. Segundo ela, o recorte qualitativo será realizado por análise de conteúdo. A ideia é identificar padrões de ocorrência de categorias, além de fazer inferências de dados verbais, visuais ou escritos. Os resultados poderão ser quantificados, contextualizados e correlacionados.
Já o recorte quantitativo vai sistematizar, sumarizar e analisar dados sociodemográficos, a fim de referenciar os relatos. Os resultados das análises serão exibidos em visualizações de dados usadas em outras reportagens e projetos especiais da Gênero e Grau, como o Open Box da Ciência.
Criada há 5 anos, a empresa já fez mais de 150 reportagens sobre a população negra. “Nossa discussão sobre o racismo e o protagonismo desta parcela da população não está restrita ao dia ou ao mês da Consciência Negra. Racismo à Brasileira é um projeto que continua a documentar o racismo invisibilizado que o Brasil vive todos os dias”, afirma Vitória Régia da Silva, repórter da Gênero e Número.
Depoimentos sobre o racismo podem ser enviados para a Gênero e Número pelos emails mm@generonumero.media e vitoria@generonumero.media
Assessoria/Caminho Político
Foto:Tomaz Silva/Agência Brasil
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos