Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, Cuiabá, 78005-906

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

quarta-feira, 13 de abril de 2022

Abenc-MT: Crea-MT apoia ciclo de palestras sobre Planejamento de Obras, Construção Civil e Infraestrutura

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT) apoiou o clico de Palestras: sobre Planejamento de Obras, Construção Civil e Infraestrutura, ” Fundamentos Básicos com Base no Sicro Sinap”, realizado pela Associação Brasileira de Engenheiros Civis (Abenc-MT), nos dias 04,05 e 06 de abril no auditório do Crea-MT. O evento foi ministrado pelo engenheiro civil, Júlio Xavier Bertulio.
“ Durante o encontro destacando a estrutura convencional de um pavimento, incluindo a determinação do traçado. Na verdade, o estudo do traçado de uma estrada nada mais é do que a melhor forma de garantir sua operacionalidade e melhoria física e principalmente viabilizar o melhor custo benefício, por meio de adequação geométrica. Muitas vezes é possível utilizar um traçado existente a partir uma estrada vicinal. Para isso é feito um levantamento topográfico, através de estudos de traçado e mapeamento por drone”, detalhou engenheiro civil.
Ainda segundo o palestrante, outro ponto colocado é a terraplanagem, considerada literalmente, a base de qualquer obra. Todo projeto estrutural na engenharia civil é erguido sobre o solo. A movimentação de terra contempla basicamente o corte e aterro, onde o corte é a retirada de material e o aterro é o acréscimo de material ao solo existente.
Os cortes são segmentos de rodovia cuja implantação requer escavação do material constituinte do terreno natural, ao longo do eixo e no interior dos limites das seções do projeto que definem o corpo estradal, bem como diagnostico de massa e composição de volume.
A presidente da Abenc-MT que acompanhou os três dias do ciclo de palestras, Eng. civil Rejane Mara Castiglioni, explica que os participantes puderam entender sobre os serviços de terraplanagem, execução do corpo de aterro e da camada de aterro e equipamentos, além da classificação de materiais granulares empregados no pavimento.
“ E também o controle tecnológico de serviços de pavimentação. Entre eles o número e a frequência de determinações correspondentes aos diversos ensaios, para o controle tecnológico dos insumos, da execução e do produto devem ser estabelecidos, segundo um Plano Amostragem aprovado pela fiscalização, elaborada de acordo com os preceitos de especificação de serviços preconizados pelo Dnit ”, disse Rejane.
Os custos de obras foi um dos pontos explanados pelo membro da Abenc-MT e coordenadora do Crea Junior, conselheira, Eng. civil, Luanna Lima, que participou do encontro. Ela disse que os profissionais da área de engenharia acompanharam dentro desse assunto apresentado, a questão dos manuais de custos e Infraestrutura de Transportes, metodologia e conceitos. Já a Câmara Técnica do Novo Sicro(Criação em 2014), foi outro fator de grande interesse para os profissionais da Engenharia civil. Á exemplo de representantes do Dnit, de associações de empresas de construção do setor de Infraestrutura de transporte, e outros”, ressaltou Luanna.
O participante eng. civil Flávio Gonçalves avaliou as palestras como positivas, com temas que agregam conhecimento, como: os parâmetros básicos para estudo de custos rodoviários como um dos principais pontos. “ Dentro do tema, foram apresentadas atividades preliminares, administração local. Instalação de canteiro de obras, mobilização de equipamentos e pessoal. Os insumos básicos para composição de custos unitário, á exemplo dos equipamentos, mão de obra e materiais”, disse o engenheiro civil.
A engenheira civil Daliane Guimarães ressaltou a palestra como fundamental para as atividades executadas nesse sentido. Citando a composição de custos unitário, conceito e inovações. Os critérios de arredondamento; cinco casas decimais após a vírgula: quantidade de equipamentos, de mão de obra e de materiais, assim sucessivamente. “ No caso especifico de produções inferiores a uma unidade, adota-se cinco casas decimais após a virgula em virtude da relevância destes inúmeros significados. Também foi mostrado durante o evento a montagem das composições de custos, produção das equipes mecânicas, tempo produtivo e tempo improdutivo, custo de propriedade, oportunidade de capital, encargos adicionais, trabalhos em condições especiais e outras discussões ligadas a esses assuntos”, disse Daliane.
O palestrante Júlio Xavier Bertulio fez uma explanação sobre os preços levantados pelo Sistema de pesquisa do Sicro. Eles devem atender os seguintes requisitos: preços refiram-se a condições de pagamento à vista, contenham toda a carga tributária, atacadistas ou representantes comerciais de fábricas, para fornecimento a grande consumidor, evitando-se o varejo e quantidade compatível com as especificações de materiais do Dnit. Compatibilização de Preços Pesquisados, locais, regionais e custos de materiais na obra e outros relacionados.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos