Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

quinta-feira, 7 de abril de 2022

Papa condena massacre e beija bandeira vinda de Bucha

Na presença de crianças ucranianas que fugiram do país, pontífice implorou pelo fim da guerra. "Silenciemos as armas, paremos de semear morte e destruição", apelou. O papa Francisco criticou nesta quarta-feira (06/04) a "crueldade cada vez mais horrível" que atinge a Ucrânia e condenou o massacre na cidade ucraniana de Bucha, a poucos quilômetros de Kiev. Ele recebeu um grupo de crianças ucranianas que tiveram que fugir de seu país e beijou e abençoou uma bandeira proveniente de Bucha, onde centenas de civis foram mortos.
"As recentes notícias da guerra na Ucrânia atestam novas atrocidades, como o massacre de Bucha, uma crueldade cada vez mais horrível, cometida também contra civis indefesos, mulheres e crianças", disse o papa em sua audiência semanal, no Vaticano.
"São vítimas cujo sangue inocente clama ao céu e implora: acabemos com esta guerra, silenciemos as armas! Paremos de semear morte e destruição!", acrescentou.
Pouco depois, o pontífice desfraldou uma bandeira vinda da cidade de Bucha diante dos milhares de fiéis reunidos no salão Paulo 6°. "Ontem, direto de Bucha, me trouxeram esta bandeira. Esta bandeira vem da guerra, da cidade martirizada de Bucha", declarou, antes de beijar a bandeira visivelmente enegrecida pelos combates.
Francisco acolheu no altar o grupo de crianças, acompanhado de suas famílias, e entregou a elas alguns ovos de Páscoa.
"Estas crianças tiveram que fugir e chegar a uma terra estranha: este é um dos frutos da guerra. Não as esqueçamos, e não esqueçamos o povo ucraniano", pediu. "É difícil ser desenraizado da própria terra por causa de uma guerra", destacou.
Elogios à Polônia
Durante a audiência, na presença de alguns poloneses, Francisco também elogiou o empenho da Polônia em receber mais de três milhões de refugiados.
"Vocês demonstraram uma extraordinária e exemplar generosidade para com nossos irmãos e irmãs ucranianos, para os quais abriram seus corações e as portas de suas casas", disse o papa.
O pontífice também lamentou "a impotência das organizações internacionais" face ao conflito.
"Após a 2ª Guerra Mundial, foram feitas tentativas para lançar as bases para uma nova história de paz, mas, infelizmente, a velha história de grandes potências concorrentes foi perpetuada. E na atual guerra na Ucrânia somos testemunhas da impotência das organizações", destacou.
No domingo, ao regressar de uma viagem a Malta, o papa expressou "a sua disponibilidade" para ajudar a silenciar as armas na Ucrânia e disse estar pronto para visitar Kiev.
"A guerra é sempre uma crueldade, uma coisa desumana e vai contra o espírito humano – não digo espírito cristão – contra o espírito humano", disse o papa na ocasião.
le (Lusa, AFP, Reuters, ots)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos