Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
AV. CASTELO BRANCO, 2500 - CENTRO SUL, VÁRZEA GRANDE

sábado, 30 de julho de 2022

Para 73% dos eleitores, há corrupção no governo Bolsonaro

Pesquisa Datafolha mostra que índice é maior entre jovens (86%) e entre quem reprova a gestão do presidente (94%). Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (29/07) mostra que 73% dos entrevistados acreditam que há corrupção no governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) - 19% responderam que não há corrupção, e 8% não souberam responder. A corrupção, no entanto, é apontada como o maior problema do Brasil por apenas 3% dos eleitores.
Em levantamento do Instituto Datafolha divulgado há dois meses, 70% disseram que havia atos de corrupção no governo, 23% que não e 7% não souberam responder.
De acordo com a pesquisa, o índice de pessoas que acreditam haver corrupção é maior entre os jovens (86%) e entre quem reprova o governo Bolsonaro (94%).
Por outro lado, entre os eleitores do presidente, 49% dizem que não há corrupção. Entre os que aprovam a gestão do presidente, 51% acreditam não haver atos corruptos.
A pesquisa também questionou os eleitores sobre qual o maior problema do Brasil: 20% responderam que é a saúde. Em seguida vem economia (13%), desemprego (10%), fome e miséria (10%), inflação (9%), educação (9%) e violência urbana (6%).
A pesquisa ouviu 2.566 eleitores de 183 municípios brasileiros nesta quarta e quinta-feira. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.
Intenções de votos
Na quinta-feira, o Datafolha divulgou levantamento sobre a corrida ao Planalto. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece com 47% das intenções de votos nas eleições de outubro, 18 pontos à frente do presidente Jair Bolsonaro (PL), que tem 29%.
Em relação à pesquisa Datafolha anterior, publicada em 23 de junho, Bolsonaro subiu um ponto, e Lula permaneceu com o mesmo percentual.
Em terceiro lugar, aparece o ex-governador de Ceará Ciro Gomes (PDT), com 8%, mesmo patamar da pesquisa anterior. Simone Tebet (MDB) tem 2%, e André Janones (Avante), Pablo Marçal (Pros) e Vera Lúcia (PSTU) aparecem com 1% cada. Votos em branco e nulos somam 6% e não sabem/não opinaram, 3%.
A pesquisa foi a primeira após o lançamento oficial das principais candidaturas e também a primeira após o Congresso aprovar um grande pacote de auxílios sociais, que ainda parece não ter se refletido positivamente para Bolsonaro.
Considerando apenas os votos válidos - que excluem brancos/nulos - Lula aparece com 52%, e poderia já vencer no primeiro turno. Bolsonaro registra 32% dos válidos. O terceiro colocado, Ciro Gomes, aparece com 9%.
Em um eventual segundo turno, Lula venceria com 55% dos votos, contra 35% de Bolsonaro. Entre os entrevistados, 7% disseram que não votariam em nenhum dos dois candidatos, e 2% se mostraram indecisos. No levantamento anterior, de junho, Lula venceria por 57% a 34%.
Em um cenário entre Lula e Ciro, o ex-presidente venceria por 52% a 33%, com 14% de votos nulos ou brancos e 2% de indecisos.
Em uma disputa com Bolsonaro, Ciro venceria com 51% dos votos contra 38% do atual presidente. Brancos e nulos somariam 10% e indecisos, 2%.
Rejeição de Bolsonaro
Segundo o Datafolha, 53% dos eleitores não votariam de forma alguma em Bolsonaro - de longe a maior rejeição entre todos os candidatos. Lula registra 36% de rejeição, e Ciro Gomes (PDT), 25%.
O atual presidente também voltou a registrar maus índices de aprovação do seu governo. Em outra pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira, 45% dos entrevistados reprovaram o governo. Segundo o instituto, esse é o pior desempenho de um candidato à reeleição a esta altura do mandato desde que a possibilidade de um segundo mandato consecutivo no Executivo foi criada, em 1997. Apenas 28% dos brasileiros aprovam o governo Bolsonaro.
le (ots)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos