Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

domingo, 26 de novembro de 2023

DESTAQUE: Escola Estadual de Tangará da Serra é destaque com projeto de incentivo à leitura e produção de textos

A Escola Estadual Professor João Batista, em Tangará da Serra, tem se destacado com uma prática pedagógica que utiliza a literatura infantil como ferramenta de ensino. Trata-se do projeto Travessia Literária: uma imersão nas páginas da mudança. Durante o ano letivo, a gestão escolar propôs aos professores do 3º ano B do Ensino Fundamental que realizassem projetos significativos para que os estudantes pudessem ampliar a sua visão de mundo e se sentissem motivados a aprender.
Segundo a professora pedagoga, Leonilda Alves Ribeiro, o projeto teve como objetivo incentivar os estudantes a se envolverem de forma profunda com a leitura, proporcionando vivências significativas por meio das quais pudessem compreender e sentir o poder da literatura.
Além dos resultados pedagógicos, ela destaca que as atividades evidenciaram como a literatura auxilia nas discussões e no combate a questões urgentes na sociedade atual, como o racismo, o preconceito e a discriminação.
“Percebemos que houve um maior envolvimento dos estudantes na realização das atividades relacionadas à interpretação e produção de textos, maior compreensão do contexto social, além de ampliar a qualidade da leitura de forma geral”, disse a pedagoga.
A leitura e releitura do livro "Qual é a cor do amor?" foi uma das atividades, seguida pela produção de frases e confecção de cartazes. Todo o trabalho desenvolvido pelos estudantes foi registrado em vídeos e compartilhado em plataformas virtuais utilizadas pela escola e no grupo de WhatsApp da turma.
As narrativas "A chapeuzinho preto ou da cor que eu quiser" e "Príncipe Preto" também foram apreciadas e examinadas pelos estudantes, despertando entusiasmo e incentivando a empatia. Questões sobre igualdade de direitos e respeito às diferenças foram questões importantes levantadas pelos estudantes durante as discussões.
Ana Sofia Almeida Cabral, de 9 anos, foi enfática ao afirmar sobre o que mais gostou. “Gostei mais do debate, porque cada vez que respondia às perguntas via que estava aprendendo mais. Antes deste trabalho eu achava que a leitura era chata e agora eu amo ler”.
Para a colega dela, Manuella Hennig Domingues, de 9 anos, o que mais a marcou foi perceber o quanto aprendeu por meio da leitura. “A leitura é mágica! Ela me leva a lugares que nunca imaginei”.
Uma contribuição importante para o projeto veio da representante do grêmio escolar, Jheny Salvador, 16 anos, do 2º ano do Ensino Médio. Ela liderou um debate apresentando exemplos históricos e culturais relacionados à luta contra o racismo e pela igualdade social e de direitos entre negros e brancos. “Para mim foi um exemplo de como praticar o protagonismo juvenil. Aprendi muito”.
O projeto também promoveu rodas de conversa com convidados especiais para estimular a reflexão entre texto e leitor. A professora Adriana Germana Luzia, mestre no Ensino de História pela Universidade Federal do Mato Grosso, falou sobre a importância da literatura afro-brasileira no combate ao preconceito racial.
Família presente
Outro momento marcante foi o encerramento do projeto na Feira do Conhecimento, na segunda semana desse mês, com a realização de uma peça teatral infantil intitulada ‘A leitura que transformou Dandara’. Os familiares participaram ativamente durante os ensaios, analisando e retomando as falas das personagens com os filhos, além de providenciarem os figurinos para a apresentação.
A protagonista da peça, a personagem Dandara, foi interpretada pela estudante Kamilly, de 8 anos. A peça destacou o percurso de Dandara em um processo de descoberta de coisas novas por meio da leitura, mostrando como as palavras podem iluminar e transformar a forma de pensar e agir no mundo da personagem.
“Além de incentivar o hábito da leitura, o projeto estimula a reflexão, o diálogo e a conscientização sobre temas importantes e atuais para os jovens. Também destaco a participação ativa dos pais como um fator fundamental para o sucesso da iniciativa de nossa escola”, concluiu Leonilda Ribeiro.
Assessoria/Caminho político
@caminhopolitico @cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos