Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

domingo, 28 de janeiro de 2024

FINLÂNDIA: Conservador e ecologista vão para o 2º turno na Finlândia

Ex-primeiro-ministro Alexander Stubb e ex-ministro das Relações Exteriores Pekka Haavisto foram os mais votados no primeiro pleito presidencial no país após adesão à Otan. Segundo turno será em 11 de fevereiro. No primeiro pleito presidencial após ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), a Finlândia foi às urnas neste domingo (28/01).
O ex-primeiro-ministro conservador Alexander Stubb foi o mais votado, com 27,3% dos votos, e vai enfrentar no segundo turno o ex-ministro das Relações Exteriores Pekka Haavisto, que obteve 25,1%. Os números são do Ministério da Justiça finlandês, após 82,8% dos votos apurados.
O segundo turno está marcado para 11 de fevereiro. Stubb é líder do Partido da Coligação Nacional, e Haavisto é um líder ecologista candidato independente.
Na terceira posição ficou o ultranacionalista Jussi Halla-aho (18,7%) e, em quarto, o independente Olli Rehn (15,8%). Nenhum outro candidato ultrapassou a barreira dos 5% dos votos.
A eleição bateu recorde de votação antecipada: antes deste domingo, 44,5% dos elegíveis tinham votado.
Desafios do novo presidente
O vencedor das eleições vai substituir, a partir de primeiro de março, o presidente Sauli Niinistö, impedido de se recandidatar após cumprir dois mandatos.
Na Finlândia, o presidente tem mandato de seis anos e, tradicionalmente, também é o responsável pela política externa e de segurança e pelo comando supremo das Forças Armadas.
Após anos de política de neutralidade internacional, a Finlândia, na sequência da invasão da Ucrânia pela Rússia, decidiu aderir à Otan. Em abril de 2023, converteu-se no 31º Estado-membro da aliança militar ocidental.No final de novembro, a Finlândia chegou a fechar totalmente sua fronteira terrestre com a Rússia para evitar que refugiados de outros países continuassem chegando através do território russo.
A fronteira entre os dois países é a mais longa da União Europeia (UE), com 1.340 quilômetros. Helsinki acusou Moscou de enviar deliberadamente à fronteira cidadãos de países da África e do Oriente Médio, como Iraque, Síria, Iêmen, Turquia e Somália, aos quais permite a passagem sem os documentos necessários.
Para Sauli Niinistö, o influxo de migrantes era uma vingança do Kremlin pela adesão da Finlândia à Otan. Moscou nega.
le (EFE, ots)Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt
Curta nosso facebook: /cp.web.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos