Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

quinta-feira, 18 de janeiro de 2024

PERSEGUIÇÃO OU INJUSTIÇA: PF faz buscas em gabinete de deputado por atos democráticos

Bolsonarista Carlos Jordy (PL-RJ) foi um dos alvos da 24ª fase da Operação Lesa Pátria, que investiga financiadores, incitadores e mentores de atos antidemocráticos que levaram aos ataques do 8 de Janeiro. O deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ), apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro, foi alvo de mandados de busca e apreensão na 24ª fase da Operação Lesa Pátria, lançada nesta quinta-feira (18/01). A operação investiga financiadores, mentores e incentivadores de atos antidemocráticos que levaram aos ataques do 8 de Janeiro.
Agentes da Polícia Federal (PF) cumpriram dez mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Oito deles ocorreram em endereços no Rio de Janeiro, e dois no Distrito Federal. Os agentes foram até o gabinete na Câmara dos Deputados e à residência do deputado, onde uma arma e R$ 1 mil foram apreendidos.
Entre os supostos crimes investigados estão abolição violenta do Estado democrático de direito, golpe de Estado, associação criminosa e incitação ao crime.
Segundo nota da PF, a nova fase da operação mira especificamente atos antidemocráticos ocorridos entre outubro de 2022 e o início do ano passado, no interior do estado do Rio de Janeiro.
Também foram alvos da PF pessoas que montaram acampamento em frente à 2ª Companhia de Infantaria em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.
"Mandado arbitrário"
Em vídeo divulgado no X, antigo Twitter, Jordy afirmou que o mandado é "totalmente arbitrário" e que nunca apoiou atos antidemocráticos.
"É inacreditável. Esse mandado de busca e apreensão que foi determinado pelo ministro Alexandre de Moraes é a verdadeira constatação de que estamos vivendo em uma ditadura. Em momento algum do 8 de Janeiro eu incitei ou falei para as pessoas que aquilo era correto. Nunca apoiei nenhum tipo de ato, embora as pessoas tivessem todo o direito de fazer suas manifestações contra o governo eleito", declarou.
Ele chamou a busca de "autoritária, sem fundamento, sem indício algum, que somente visa perseguir, intimidar e criar narrativa às vésperas de eleição municipal".
"Fui acordado hoje às 6h, estava dormindo com a minha filha e a minha esposa. E fui acordado com fuzil no rosto pela Polícia Federal", reclamou Jordy.
md/bl (ots, EBC)Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt
Curta nosso facebook: /cp.web.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos